Biografia

Nascida a 9 de Julho de 1991, Cláudia Martins iniciou muito precocemente a sua carreira. Com apenas 8 anos começou a aprender a tocar concertina e um ano depois, envolveu-se no mundo das cantigas ao desafio.
Em   2001  pertenceu     a  um   grupo  familiar, designado “Amigos de Guimarães” com os quais partilhou momentos de grande alegria e festividade. Em 2005, fez parceria no duo “Tiago & Cláudia”, experiência que a enriqueceu em termos pessoais e  profissionais. Nesta altura começou a escrever as suas próprias letras, brincando com as palavras e com as melodias.
As comunidades portuguesas têm uma enorme influência na sua carreira profissional, pois desde 2006, passou a ser convidada a mostrar o seu trabalho, um pouco por todo o mundo. Simultaneamente tem percorrido o país de lés a lés. No entanto, sentiu que devia mais aos seus fãs e optou por criar, em 2009, a banda “Minhotos Marotos”, nome selecionado, por um lado, como homenagem à região que a viu nascer e, por outro, dando um duplo sentido às letras que utiliza nas suas canções. Esta banda foi aumentando progressivamente, sendo que atualmente engloba sete elementos em palco os quais tocam instrumentos vários proporcionando a quem os ouve momentos de boa disposição, alegria e entusiasmo.
Em 2009 lançou o seu primeiro disco intitulado “Minhotos Marotos”, onde  popularizou a música “Marotos”. O álbum de estreia foi um grande sucesso em Portugal e no estrangeiro, levando Cláudia Martins a realizar vários espetáculos por todo o mundo.
Desde   esta   altura,    não  tem   parado, contando já no seu currículo com vários trabalhos de originais entre os quais “Levanta mais a Perninha”, “Encaixa a Torneira na Pipa”, “Que saudade de Emigrante”, “Minho Lindo”, “Senhora de Fatima”, “O Segredo dos Marotos”, “Caloira do Chic Chic”, “Passarinha e Sardão” e “Gala Dela”.
Em 2015 foi premiada pelo Blogue D’Ouro, como a mais jovem artista no género Popular e em 2016 recebeu o disco D’ouro que tem como título “Faz Beicinho”.
Em  2017  um  acontecimento  que marcou  a  sua  vida foi ter cantado para a GNR após uma coima por excesso de velocidade. Desta forma, expôs o vídeo no Facebook que se tornou viral e alcançou cerca de 7 milhões de pessoas. Assim, surgiu o novo tema “Cantiga à GNR”.

Em 2018, já pela editora País Real, Cláudia Martins & Minhotos Marotos, lançam o disco Segura-me no Saco, que foi Disco de Ouro.
Em  2019 e no ano em que comemoraram 10 Anos de carreira lançam  Atira o Barro à Parede.

Neste ano de 2020 Cláudia Martins & Minhotos Marotos, acabam de lançar “PORTUGAL E SUA FORMAÇÃO – CANTADO À DESGARRADA “, um trabalho descrito pela Cláudia nesta sua mensagem!

“Caríssimos amigos, este trabalho foi pensado há mais de dois anos, com o intuito de relembrar aos portugueses, num só CD, momentos cruciais e resumidas particularidades da nossa colossal história. Aos amantes das cantigas, quisemos, de forma diferente, transmitir ligeiros apontamentos do gigantesco heroísmo daqueles que com sangue, suor e lágrimas, fizeram com que Portugal se tornasse uma realidade. Neste resumido, mas elaborado projeto, destacamos ainda os feriados do nosso calendário nacional, e de algumas das imensas riquezas e belezas deste cantinho à beira mar plantado. O nosso verdadeiro desejo ao relembrar o passado, é a vontade de vermos no presente, o povo português com fé e esperança no futuro. De tempos ancestrais, chegaram aos nossos dias as suas maravilhosas tradições. Julgamos ser obrigação de todos nós, proteger e defender esse inigualável tesouro dos nossos antepassados. Aos que carinhosamente adquiriram este CD, beijinhos e abraços de amizade da Cláudia Martins e do Paulino Brasileiro.”
Cláudia Martins

“PORTUGAL E SUA FORMAÇÃO – CANTADO À DESGARRADA “. um trabalho com a etiqueta País Real!